Safern - Sindicato dos Atletas de Futebol Profissional do Estado do Rio Grande do Norte

Unidos pelo bem de todos

Eternos

Wallace Costa

Nome: Wallace Gomes da Costa
Data de nascimento: 17 de abril de 1934
Naturalidade: Taípu(RN)

O texto a seguir foi escrito pelo próprio homenageado, professor Wallace, ou como os seus inúmeros pupilos chamam carinhosamente, “Seu” Wallace.

LEVANTAMENTO BIBLIOGRÁFICO

Iniciei minha carreira futebolística num local denominado “Grama” que ficava entre as avenidas Alexandrino de Alencar e Coronel Estevam no bairro do Alecrim, vizinho a antiga Legião Brasileira, praticando aos 12 anos a pedagogia do futebol de rua ao lado de futuros profissionais como Paulo Humberto, Piloto, Caiçara e Cuíca, que na década de 50 passaram a ser profissionais do Náutico de Recife-PE.

Jogando futebol de rua no meio dos craques citados, a notícia rapidamente chegou aos olheiros do América(na época Lú e Sr. Waldemar Junqueira). Eles me fizeram um convite para participar de torneios e campeonatos internos no campo do América, onde hoje é a sede social do clube. Os times participantes tinham o nome dos dirigentes do clube.

O convite foi aceito por mim e por minha família. Daí a minha ascensão para o futebol profissional foi rápida. Estreei no jogo América 2 x 1 Santa Cruz aos 17 anos permanecendo titular até o licenciamento do América em 1959. Neste período fui convocado para integrar a seleção do Rio Grande do Norte por três vezes, nos anos de 1953, 1956 e 1959.

Após o afastamento do América junto a Federação joguei pelo Atlético em 1960, pelo Alecrim em 1961 e pelo ABC FC a partir de 1962, sendo mais uma vez campeão do Estado.

Visualizando um futuro melhor em termos financeiros passei a estudar com afinco formando-se em Filosofia e posteriomente em Educação Física, que seria a minha área de atuação.

Com o América licenciado, durante cinco anos fiquei longe do Juvenal Lamartine onde eram realizados os jogos oficiais, ou seja, afastado do futebol.

Frequentando o “Frasqueirão” tendo como companheiro o senhor Alberto Amorim, excepcional direitor do ABC FC, com quem conversava bastante sobre futebol. E numa triste tarde para o futebol amador, o time juvenil do ABC perdeu por W.O. para o Santa Cruz por falta de atletas. As duas equipes iriam fazer a preliminar do jogo principal(profissionais).

Conversando sobre aquela situação pela qual passava o juvenil do ABC FC, fiz ver ao Sr. Amorim que se um dia eu treinasse uma equipe amadora, ela jamais perderia um jogo por W.O., pois se o time fosse formado por 20 atletas eu colocaria os 20 em campo.

Nesse bate papo o Sr. Amorim me fez um convite:”voce topa dirigir o juvenil? imediatamente respondi: me dê 5 dias que te direi a resposta E depois de passsado o prazo que solicitei, dei a resposta confirmando que toparia esse novo desafio na minha carreira de futebol, começando um trabalho responsável no amador do ABC FC. O começo do trabalho foi feito através do famoso “peneirão”.

Neste mesmo ano, disputando com América e Alecrim, cujas equipes já estavam formadas consegui levar o juvenil do ABC ao título. Com isso fui elevado, ainda neste ano, a dirigir o time de profissionais do clube. Promovi uma mudança tática no time e levei o grupo ao tricampeonato numa bela tarde de domingo no recém inaugurado estádio João Machado. O time: Erivan, Biu, Edson, Josimar, Anchieta, Willian, Gonzaga, Alberi, Zé Maria(Bozó) Joilson e Josenildo. tendo sido o primeiro treinador profissional campeão da era Machadão. O placar: ABC F.Fc 2 x 0 América. Os gols: Jailson(2).

Posteriormente voltei a trabalhar com as categorias de base, que era o meu objetivo. Em 1974 coordenei a escola do pequeno atleta. Uma criação do governador Cortez Pereira cujo slogan era “bola nos pés, livros nas mãos”. Convidamos duas equipes de São paulo (XV de Piracicaba e o Santo André) a fim de disputar dois jogos com a seleção da escola do pequeno atleta para abrilhantar o encerramento do campeonato.

Dois projetos importantes que o governador queria que houvesse continuidade era o da Escola do Pequeno Atleta e o projeto Camarão. Infelizmente o governo seguinte não topou a idéia achando o projeto muito caro, pondo fim a uma idéia criativa e inteligente do ex governador Cortez Pereira.

A partir daí fui convidado em 1974, pelo então presidente José Vasconcelos da Rocha, para comandar a equipe de futebol juvenil do América Futebol Clube. Revelando deste período até 1983 grandes valores para a equipe profissional.

Uma história bem interessante desse período, no tocante a revelação de atletas, foi a do zagueiro Sérgio Poti, que foi convocado para a Seleção Brasileira de Juvenis, sem nunca o técnico da Seleção tê-lo visto jogar antes. O técnico da Seleção era Mário Travaglini, que eu havia conhecido em um curso de treinadores coordenado pelo professor Cláudio Coutinho em Volta Redonda, que acreditou no meu depoimento sobre as qualidades técnicas de Sérgio, fazendo de pronto a convocação.

Graças ao trabalho responsável e muito esforço além da revelação de atletas conseguimos conquistar vários títulos. Entre eles o de pentacampeão (1979-1982) como treinador dos juvenis e do profissional simultaneamente.

Toda essa trajetória não teria sucesso sem a ajuda primordial do professor Eloi Simplício. Sem essa parceria eu não teria tido êxito nas jornadas de trabalho.

O professor Eloi fou um companheiro excelente e um instrutor competente no esninamento didático da iniciação do futebol até o profissionalismo.

Deixei de trabalhar com o futebol em 1992 quando não senti mais entusiamo nenhum pelo trabalho.

Em 1993 conheci um ser himano fantástico, em um curso sobre futebol em Natal, encontro organizado por mim e por Eloi passei a conhecer Carlos Alberto Parreira palestrante do curso, no período técnico da Seleção Brasileira, amizade que perdura até hoje.

Em toda essa trajetória guardo grande jogadores na lembrança, mas dois em especial, Jorge Tavares(Jorginho), o melhor jogador de futebol com quem joguei, enfrentei várias vezes, e ainda tive a felicidade de ser seu companheiro no ABC F.C. Como treinador, Alberi foi o melhor jogador que passou pelo meu trabalho, considero um craque perfeito.

Guardo na lembrança alguns dirigentes e amigos abaixo citados:

ABC F.C.
. Presidentes – José Paiva Torres, Dr. Amaro Marinho. Dr. Aloísio Bezerra, Felizardo Moura;
. Diretores – José Pridência e Alberto Amorim;
. Companheiros de trabalho – Prof. Galvão, Joca e Furão.

América F.C.
. Presidentes – José Vasconcelos Rocha, Jussier Santos, Dr. Heriberto Bezerra e Dilermando Machado;
. Diretores – Felix e Duílio;
Companheiros de trabalho – Garibaldi(Lú), Cosme, Sr. José, Espaguete e Macarrão.

Clube Atlético Potiguar:
. Presidente – João Cláudio Machado
. Diretores – Luiz Gonzaga e Brígido Ferreira.

Alecrim F.C.
. Presidente e Diretor – João Bastos Santana

Desportistas na família:

. Wilton, jogou no Santa Cruz, América, ABC futebol de salão e seleção de futebol de salão do Rio Grande do Norte;
. Macir Gomes, arquiteto e idealizador do estádio “Machadão”.
. Zilson Eduardo Freire, árbitro de futebol de salão da federação do Rio Grande do Norte e da Confederação Brasileira de Futebol de Salão.

Em 2010, numa escolha democrática entre os atletas de futebol profissional em atividade no Rio Grande do Norte, Wallace Costa foi eleito para nomear a honraria ao mérito do SAFERN e que é concedida anualamente à desportistas que prestaram relevantes serviços ao esporte do Estado.

Faleceu em 06 de fevereiro de 2013, vítima de infarto, em Natal/RN.

Voltar

Inferninho
Futebol Interior
Direito de Arena
Cadastro de Atletas
Fenapaf
Capitão e Paredão

eternos

Goleiro

Eugênio
Ver mais

ÚLTIMOS VÍDEOS

Ver mais

FACEBOOK



SAFERN

Sindicato dos Atletas de Futebol Profissional do Estado do RN.
Rua Promotor Manoel Alves Pessoa Neto, 45, sala 1313
Candelária - Natal/RN - CEP - 59.065-555 - CNPJ 09159081/0001-41
Telefone: (84) 3231 - 4656 - contato@safern.com

Horário de atendimento: segunda a sexta - 14h às 18h.